Concurso TJ-SP: déficit de servidores, aposentadorias e tradição de editais indicam que novo certame pode estar próximo

Os concurseiros com um pouco mais de experiência nas Carreiras Tribunais já sabem que o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) tem o hábito de publicar vários editais para diversos cargos, inclusive para Escrevente, que se tornou o “queridinho” dos candidatos por proporcionar bons ganhos e exigir apenas nível médio completo.

Para se ter ideia, entre 2010 e 2018 o único ano onde não houve a aplicação de uma prova para Escrevente foi 2016. Ou seja, quando demora muito, o TJ-SP dá um espaço aproximado de dois anos entre um concurso e outro.

Além das evidências estatísticas, outros detalhes fazem com que o ano de 2019 seja um forte candidato para mais um edital, pois recentemente foi divulgado na imprensa especializada que mais de 5 mil servidores, que atualmente ocupam o cargo de Escrevente, já atendem ou atenderão as condições necessárias para aposentadoria nos próximos meses.

Mesmo que boa parte deste número esteja apto apenas para a aposentadoria com redução de proventos e, por isso, podem continuar trabalhando até alcançar a aposentadoria integral, o cenário é preocupante levando em conta que o tribunal já registra um déficit de 3.372 Escreventes Técnico-Judiciário. Conforme dados divulgados em dezembro de 2018, do total de cargos instituídos em Lei, que é de 34.928, apenas 31.556 estariam ocupados.

Organizado pela Fundação Vunesp, o último certame para Escrevente do TJ-SP foi publicado em 2017 com 235 vagas. As provas aconteceram em 25 de março de 2018.

 

O cargo de Escrevente Judiciário

Como dito anteriormente, os concursos para o cargo de Escrevente Técnico Judiciário do TJ-SP exigem a escolaridade de Nível Médio e atualmente os ganhos iniciais são superiores a R$ 6 mil, somando-se vencimentos e auxílios.

Dentre as funções de um Escrevente está executar atividades relacionadas à organização dos serviços que envolvam as funções de suporte técnico e administrativo às unidades do Tribunal de Justiça, dar andamento em processos judiciais e administrativos, atender ao público interno e externo, elaborar e conferir documentos, controlar a guarda do material de expediente, atualizar-se quanto à legislação pertinente à área de atuação e normas internas.

Éder Gulhak

Éder Gulhak é jornalista, formado desde 2008, tendo trabalhado por vários anos com assessoria e também diversos veículos de comunicação. Músico por paixão, teve contato desde cedo com ferramentas e métodos de produção e edição de conteúdo por meio de áudio, vídeo, texto e imagens. Atuou, mais recentemente, com vendas e gerenciamento e treinamento de equipes em âmbito nacional. Aficionado pelos meios digitais, hoje reúne toda sua experiência e se dedica exclusivamente ao Marketing Digital.

Carregando...