Quem tem medo da banca organizadora?  Fique por dentro das características das principais!

A banca organizadora é a instituição que fica  responsável pela elaboração e publicação do edital, escolha dos locais de provas, distribuição dos candidatos nos locais de prova, elaboração e aplicação da prova, divulgação da lista de classificados, entre outras atribuições.

Recursos de questões após o gabarito provisório também são analisados e deferidos (ou não) pelas bancas. Normalmente, há um grupo de professores especializados, permanentes ou contratados, que são responsáveis pela elaboração das questões. 

Para você, que é concurseiro, o segredo é olhar para a banca como uma bússola. Isso porque geralmente as instituições possuem um padrão de avaliações, o que pode nortear os seus estudos. Para facilitar seus estudos, confira as características das principais bancas.

Fundação Carlos Chagas (FCC)

Realiza concursos federais, estaduais e também municipais. As questões geralmente são bastante objetivas, e mesmo que sejam extensas, não têm muito mistério.

Candidatos devem ficar atentos com as provas de Português e de Direito que são bem equilibradas e exigem um grau de análise e conhecimento literal às leis.

Cespe (Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília)

É, de longe, a mais temida pelos concurseiros. As questões são multidisciplinares e complexas. O Cespe aposta em questões em que é preciso assinalar certo e errado nos enunciados e isso pede atenção redobrada dos candidatos. Isso porque a banca anula a questão inteira se o concurseiro errar apenas parte da resposta. Confira aqui mais informações de como estudar para essa banca.  

Cesgranrio

Costuma realizar os concursos da Petrobras, de bancos, do IBGE. O nível de cobrança é médio e é conhecida como uma banca metódica com provas separadas por matérias. As questões são parecidas com as da Fundação Carlos Chagas, com a cobrança de texto de lei e enunciados não tão complexos quanto os do Cespe.

Fundação Getúlio Vargas (FGV)

Faz concursos de câmaras municipais, da Polícia Civil do Rio de Janeiro e secretarias. É a banca responsável pela prova da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

É uma banca imprevisível, não tem padrão, muda muito de uma prova para outra. Traz texto longos para interpretação de texto e gramática. Na parte de direito tem cobrado casos práticos e, questões multidisciplinares envolvendo também texto de lei.

 Vunesp

Responsável pelos concursos da Polícia Civil paulista, tribunais de justiça, Cetesb, prefeituras paulistas, entre outros.

A prova de português costuma ser bastante elementar, cobra bastante gramática, mas pode ser que uma ou outra questão seja mais complexa. Em Direito o candidato deve conhecer bem o texto da lei.

Esaf

Também costuma deixar os concurseiros de cabelo em pé. Faz concursos da Fazenda e Tesouro Nacional. É uma banca polêmica que traz temas em que não há consenso entre os doutrinadores. Diante disso, seus concursos acabam tendo volume de recursos o que pode até atrasar o andamento da seleção.

Quer saber mais sobre esse tema? Confira aqui mais informações sobre o universo dos concursos! 

Cris Güetter

Cris Güetter é jornalista, formada pela Universidade Paranaense desde 2009. Tem em sua essência o jornalismo impresso; enraizado em seu DNA. Já atuou como repórter, editora, chefe de redação e como diretora de conteúdo numa agência de marketing digital. É apaixonada por cinema, viciada sem chances de reabilitação em viagens e defensora convicta de que trilha sonora é essencial. Agora, seu foco é informar sobre o universo dos concursos! 

Carregando...